© 2016 por Zaionara Gomes Blog

contato:

Se inscreva na minha lista e receba novidades e tenha acesso aos exercícios dos  vídeos com atividades.

Corpo e Mente... um reencontro na abordagem da Psicoterapia Corporal.

08.05.2016

 

 

 

           A mente humana é objeto de estudo e interesse desde dos primórdios da humanidade, bem como a sua relação com as somatizações no corpo. Nos antigos textos Védicos ( textos sagrados do hinduísmo que datam de mais de 5.000 A.C), há referência a “antiga ciência da Vida”, o Ayurveda, que atualmente destaca-se na medicina da mente e do corpo. Para a medicina Ayurveda não há dicotomia entre corpo e mente (como proposto pelo filosofo francês René Descartes 1596-1640), pois as doenças físicas perturbam as nossas emoções e enfraquecem os sentidos, podendo acarretar doenças psíquicas; bem com os desequilíbrios psíquicos podem acarretar doenças físicas.

 

            Na atualidade temos a Psicologia (ciência que busca compreender a analisar a mente humana) que teve seu gérmen na filosofia grega, com grandes ícones como Aristóteles, onde já notava-se a necessidade entendimento da relação corpo x mente, a ponto deste filósofo propagar a afirmação ouvida e dita até os dias de hoje “Corpo são, mente sã”. Com o caminhar cientifico e experimental da psicologia, muitos estudos focaram-se somente nos processos mentais e não nas suas relações com o corpo em si, e vice-versa. A Teoria Psicanalítica criada por Sigmund Freud (1856-1939) teve um grande marco com a publicação do livro “Estudos sobre a histeria” (Freud & Breuer, 1895-1996), onde Freud percebia o aparelho psíquico a partir de manifestações corporais. Ou seja, desde a origem da psicanálise o corpo é uma fonte importante e essencial na compreensão dos aspectos e patologias da mente, já que a nível inconsciente o corpo participa na formação dos sintomas.

                  Um dos estudiosos da psicanálise foi Willhem Reich, que ainda estudante de Medicina, conheceu Freud em um Seminário que ele próprio e alguns outros estudantes organizaram na Faculdade. Depois deste encontro, Reich inicia o aprofundamento dos estudos na psicanalise tornando-se “discípulo” de Freud. Após alguns anos de sua jornada (que incluiu seu envolvimento sócio-politico com a classe operária alemã, o que acarretou muitas perseguições e sua fuga para Noruega),  Reich estabeleceu-se em Oslo, tendo como base a Universidade local. Lá ele pode desenvolver sua pesquisa clínica e experimental sobre a dinâmica biopsíquica das emoções o que permitiu a ele descobrir o fenômeno do encouraçamento (como as emoções podem permanecer retidas em algumas partes do corpo, como em músculos, órgãos, etc), elucidando aspectos fundamentais da relação entre corpo e mente.  Foi também um pesquisador importante sobre o desenvolvimento do câncer, pois demonstrou como esta, e outras doenças, são engendradas num longo processo de desequilíbrio emocional. Reich foi um dos percussores da Medicina Psicossomática, tendo sido afastado somente em medos dos anos 40 devido a questões politicas. Alexander Lowen foi um de seus pacientes e tornou-se um grande divulgador e propagador de suas teorias e descobertas, criando assim a Bioenergética. Neste breve relato ( que não teve a pretensão de relatar todos os teóricos e pesquisadores da psicologia e da mente humana), percebemos que a busca pela compreensão dos processos psíquicos e suas influencias em nossos corpos iniciou-se acerca de 5000 AC e continua até os dias de hoje. Descobrir a relação mente x corpo ainda é um desafio para muitos.

 

              É notório que nosso corpo vem passando por diversas transformações individuais e sociais ao longo de nossa existência; e que nosso corpo reage e age as nossas emoções, fatos e conflitos internos externos. Com o advento da Psicologia do Corpo (proposta por Reich), ou podemos dizer também Psicologia no Corpo, podemos nos compreender, amar, aceitar e superar nossos conflitos não só pela mente, mas pelo corpo. Vivemos em uma sociedade de imagem, do virtual, onde o corpo tem um lugar ( quando tem) no consumo. Consumimos corpos, relações, cirurgias estéticas, comida, moda e modismos. Sacrificamos o corpo na busca de calar nossas angustias de estética, de aceitação... fazemos exercícios de forma desregrada, excessiva.. fazemos dietas pobres em comida de verdade, dormimos mau e o pior,  fazemos sexo sem qualidade. E temos o extremo oposto, onde não percebemos que existimos no corpo, ingerimos venenos em forma de comida, nos mexemos o mínimo e vivemos na tecnologia virtual, como se existência do corpo do corpo fosse nagada, o que seria negar-se a si mesmo. Parece que estamos vivendo somente na mente, em uma eterna briga com nossos corpos. A Psicoterapia corporal (como outras teorias da Psicologia) busca promover o reencontro, a união entre o corpo e a mente, promovendo o equilíbrio e saúde integral.

 

Então fica a dica! Busque se auto conhecer, reencontre-se!

Please reload